PM do Guará tem novos comandantes

A notícia da troca de comando no 4º Batalhão da Polícia Militar e do 2º Comando Regional (que funciona dentro do 4º Batalhão) pegou de surpresa lideranças comunitárias e a comunidade do Guará na manhã da sexta-feira passada, 29 de outubro. Afinal, o coronel Everaldo Aragão, no 4º BPM, e o coronel Cristiano de Oliveira Souza, no 2º CPR, estavam há apenas seis meses nos cargos.
No caso da troca do comando 4º Batalhão a explicação do Comando Geral da Polícia Militar é que havia a necessidade de nomear alguém mais experiente no 10º BPM da Ceilândia, na região do Sol Nascente, considerada a região mais carente do Distrito Federal, função já ocupada lá mesmo pelo próprio coronel Aragão. Para o seu lugar no comando do 4º BPM do Guará foi nomeado o tenente coronel Adauton Santana da Conceição, 45 anos, que era o comandante do Batalhão Rural há dez meses. Ele foi transferido para o comando do Guará porque foi elevado de major a tenente coronel e o cargo no Comando Rural é de major.
No comando do 2º CPR, que coordena os batalhões de Guará, Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Park Way, Riacho Fundo I e II, e Cidade Estrutural, assume o coronel André Luiz Pinheiro Borges, morador do Guará, que já havia sido comandante do 4º Batalhão e do próprio 2º CPR antes de ocupar o comando da Subchefia de Ordem Pública, do Departamento de Operações, do Comando-Geral da Secretaria de Segurança e Ordem Pública, para onde vai o coronel Cristiano Oliveira Souza.

Cel Aragão e cel Cristiano ficaram apenas seis meses no cargo

Novo comandante quer incrementar Rede de Vizinhos

O novo comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar quer trazer a expertise do projeto Guardião Rural, implantado por ele no Batalhão Rural, para ampliar e incrementar o projeto Rede de Vizinhos no Guará, que tem objetivo semelhante de promover a solidariedade entre vizinhos em busca da segurança pública mútua. “Tomei conhecimento de alguns grupos que existem na cidade, mas ainda são poucos. Vamos incentivar a criação de novos grupos e fortalecer e prestigiar os existentes, como acontece no Lago Norte, onde o Rede de Vizinhos é um importante instrumento para garantir a segurança pública”, afirma.
Outra prioridade do cel Adauton Santana da conceição é dar seguimento à interação com a comunidade, como vinha fazendo o comandante Everaldo Aragão. “Vamos intensificar também a vigilância ostensiva nos acessos à cidade, principalmente nos horários de pico, através da presença de viaturas e policiais e de blitz. Queremos ampliar a sensação de segurança à população do Guará”, acrescenta o novo comandante. Ele pretende também continuar a aproximação da polícia militar com a comunidade, através de encontros e parcerias com instituições organizadas e lideranças comunitárias da cidade, que vinha sendo praticada pelo comando anterior.
Inicialmente, são essas as prioridades dele no comando do 4º Batalhão, mas afirma que ficou impressionado com o projeto Prevenindo com Arte, que atendia cerca de 1.800 moradores da cidade com atividades desportivas e culturais gratuitas antes da pandemia, e que estava sendo retomado pelo ex-comandante cel Aragão. “Vamos reativar o projeto aos poucos dentro das condições sanitárias da pandemia até retomá-lo completamente. É um projeto muito bonito e que também pode nos ajudar mais na interação com moradores, uma de nossas metas”, completa o novo comandante.

 

No comando dos Bombeiros, um jovem de 35 anos

O quartel do Corpo de Bombeiros do Guará é desde maio comandado pelo major Fábio Lopes Faria, de apenas 35 anos. Ele assumiu a unidade apenas um mês depois de ser elevado a major e com dez anos de corporação.
Especializado em atendimento pré-hospitalar, busca e resgate com estruturas colapsadas, salvamento aquá-tico e em operações perigosas, Fábio foi escolhido para o comando da unidade também por ter morado no Guará em 2014 e 2015.
No quartel do Guará, ele comanda um efetivo de 97 bombeiros militares, com diversas especializações. Em 2021, o comando atendeu 2.683 chamadas, numa média de nove chamados por dia, a maioria em socorro médico de emergência e depois para combate em incêndio urbano e rural, principalmente no parque Ezechias Heringer, o Parque do Guará, com tempo médio de atendimento desde a chamada em 6,44 minutos.

Fonte: Jornal do Guará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar Mensagem